Flor do Destino

Nasci contracorrente

Pra não ser aprisionado

Não sabia quem era

Até dar tudo errado

 

Hoje reduzido

Ao mínimo necessário

Sou mais simples

Que sonhei

E me alivia o peito

Aprender a viver

 

E já não remo tanto

Deixo a gravidade

O equilíbrio do todo

Buscar sua parte

E minha vida

Vai se completando

Pétala a pétala

Depois

Do cotilédone

Crescer.

« Voltar