Ansiedade

 

Às vezes, ela decidia ficar por aqui. Neste tempo, nesta hora, neste instante da cidade. Caso estivesse muito ansiosa era impossível. Sua mente passeava pela estrela distante ao vão da fechadura do quarto.

Vez por outra pensava em coisas de dizer sobre amar. Não sabia amar e desconfiava que não tem muito o que dizer quando se escolhe amar.

Não sabia escolher também. Diante de todas opções de vida, de roupa e de gente para andar, o que fazer?! Impossível escolher sem que o escolhido se transformasse em símbolo de todas as outras excelentes opções rejeitadas.

Por isso, tinha dias que era ela e o quarto. Ah! E o cachorro, quando de banho tomado.

 

 

« Voltar